• Prof. Carlos Pimenta

Modelo de Avaliação de Estresse

Atualizado: 28 de Set de 2020

Uma pergunta recorrente que me fazem é sobre como controlar o Estresse nas diversas situações. Em um ambiente de treino por vezes preparamos aulas na qual utilizamos algum tipo de “arma”, trabalhando primeiro em um “universo expandindo” e após “reduzindo” esse universo. Mesmo esta “arma” sendo de madeira ou plástico ela tem um efeito Emocional com impacto importante e visível nos alunos, em relação a fazermos a mesma coisa sem o “incentivo” de uma faca, por exemplo.

Este artigo complementa e aprofunda um pouco mais um artigo anterior que escrevi chamado: “Meio Ambiente, Estresse e a Melhor Resposta” (você pode ler o Artigo clicando ** aqui **) e não tem intenção de fechar questão sobre o tema, mas sim olhar sobre outro aspecto.

Acredito que primeiramente é necessário entendermos como funciona o processo de Avaliação e Resposta ao Estresse. Para tanto fiz um Modelo de Avaliação (*), segundo meu entendimento, para facilitar a visualização. O modelo abaixo está desenhado em forma de fluxograma é auto explicativo, porém vou tecer algumas observações sobre as “caixinhas” que considero importantes. Recomendo que leiam antes de interpretar a figura.































Evento Ambiental – qualquer evento ou alteração capaz de afetar ou comprometer a resposta de um organismo. Podem ser de vários tipos, entre eles: temporais (antes ou após a resposta), espaciais (externo oi interno ao corpo), Observáveis (públicos ou privados), de natureza física ou sociais.

Processo de Avaliação – Para entendermos melhor o conceito é importante termos em mente a raiz das palavras: - Processo: do latim processus,us = ação de adiantar-se, movimento para diante, andamento.

- Avaliação: raiz da palavra Valia, do Latim valĕo,es,ui,ĭtum,ēre = ser valente, vigoroso; ter força, ter crédito

O processo de Avaliação de forma geral, é composto por uma sequência de passos (ou etapas) visando a determinação sistemática do mérito, valor e importância de um objeto, pessoas ou situações (fatos). Para tanto usa-se critérios norteados por um conjunto de padrões definidos. Os processos visam dar visibilidade a procedimentos retirando do empirismo as ações. Para tudo que fazemos existem processos mentais (muitas vezes não conscientes) e eles, entre outras coisas, são a base e definem quem somos e nosso comportamento. Cada pessoa tem um modelo mental e seus processos de avaliação que levam em conta na sua formação, por exemplo, as experiências passadas, educação, motivações, emoções, percepções, linguagem, etc. Simplificando “muito” (mesmo!) é como decidem !

Crenças Primárias e Comportamentos – Conceitualmente crença é o “estado psicológico em que um indivíduo adota e se detém a uma proposição ou premissa para a verdade, ou ainda, uma opinião formada ou convicção”. Todas as pessoas têm crenças (aquilo que acreditamos como verdades – de forma consciente e inconsciente), sendo positivas ou limitantes, As crenças primárias são aquelas que nos foram ensinadas e aceitas desde a infância. Elas são “parte” de nós. O Sistema de Crenças tem um peso importante, pois em muitas situações para que a pessoa evite processo de estresse, elas tendem a acreditar em conteúdos (independente da origem e quais sejam) que não ponham em risco ou abalem seu próprio sistema de “certezas”. Isso pode levar a viés na análise e tomada de decisões (“escolhas erradas”, “não melhores”) e por vezes pode tornar a pessoa inflexível para algumas situações.


Ameaça ou Desafio – Ameaça pode ser qualquer indício de acontecimento desfavorável para uma pessoa, tais como, fato, ação, gesto ou palavra que atemoriza ou intimida. Ele pode ser tanto real quanto imaginário. Desafio são situações ou grandes problemas a serem vencidos ou superados. Dependendo da “história” da pessoa