Blog do Espaço Funcional 

Postagens rápidas e focadas para quem tem pressa.

Borderline, causas e soluções alternativas.

December 17, 2018

Outro dia a navegar pelas redes sociais vi uma nota de falecimento (e sua explicação). Exprimi meus sentimentos e comentei que nunca havia aparecido em minha linha do tempo a necessidade da mãe e que se tivesse sabido a tempo poderia ter apresentado a Arte Marcial Russa, como uma proposta alternativa, já que está presente no método trabalhar a parte emocional, medos, etc. Na sequência recebi uma nota de um pai compartilhando sobre sua filha, entre outros.
Percebi então que era hora de escrever mas sob outra ótica. Espero que este possa ser útil a você e que te dê uma nova força para persistir.   

 

O que é Borderline?
Borderline é um transtorno de personalidade. Vem da palavra inglesa: limite, limítrofe. Por extensão: no limite da sanidade.

 

Quais são as características do Borderline?

Comportamentos e sentimentos devido a total falta de controle (real ou imaginário) sobre seu estado emocional.
- mudanças súbitas, extremas e contraditórias de humor e opinião
- Medo extremo de ser abandonado ou excluído
- Raiva, irritação, agressividade, solidão...
- Comportamentos impulsivos/compulsivos/de dependência diversos
- Momentos de lucidez vs. momentos de surto
- Dificuldades em relações sociais e familiares.
- Problemas com autoimagem e baixa autoestima (ver outro artigo que tratei deste tema)
- Medo de ter os outros como “muleta” para se estabilizar e tomar decisões, entre outras.  

 

Quem pode ser acometido por Borderline?
Qualquer pessoa, mas o que percebemos é que há uma certa predominância no público feminino, podendo-se iniciar na adolescência, entrando na vida adulta.
Digo isso pois tenho recebido mais contato de pais relatando sobre suas filhas.  

 

Ser acometido por Borderline é ser Bipolar ou Depressivo?
Não ! São coisas diferentes! De forma bem resumida:
A Bipolaridade caracteriza-se por variações pronunciadas do humor, com crises repetidas de depressão e manias. 
Depressão é uma sensação persistente e profunda de tristeza

 

Existem consequências mais graves para quem tem Borderline?
Sim e variam também ao extremo, desde reclusão e dificuldades de relacionamento/familiares/trabalho a mutilação e suicídio. Problemas no trabalho, desestruturação familiar, álcool e drogas, atos contra o patrimônio e pessoas. 

 

Como posso saber se estou acometido por Borderline?
Procurar a orientação de um profissional capacitado (médicos, psiquiatras, terapeutas, etc.) e de sua confiança é fundamental. Ele poderá fazer o diagnóstico através do comportamento, exames físicos e psicológicos complementares.

 

Quais os possíveis fatores para eu desenvolver Borderline?
Fatores genéticos, experiências emocionais ruins e de forte intensidade na infância, fatores ambientais e familiares, alterações em certas áreas do cérebro relativas ao controle do humor, entre outros.

 

Quais são os tratamentos convencionais?
Acompanhamento psicológico e medicamentos anti-depressivos ou similares.    

 

Borderline tem cura?

Com o devido tratamento e acompanhamento os sintomas diminuem e a pessoa pode ter uma qualidade de vida mais equilibrada. Com o passar dos anos e a maturidade os sintomas tendem a diminuir.
Pessoalmente acredito que Deus pode restabelecer o equilíbrio, mas isso é uma questão de fé e as vezes é a única coisa que as pessoas tem. As duas juntas são aliadas e podem ter um efeito maior e melhor. Eu não descarto nenhuma das duas.

Compartilhando de uma história de Borderline vivido por mim.
Na minha adolescência tinha uma amiga, de pais separados e mãe que se ausentava muito por causa do trabalho. Para os padrões da época ela era “rebelde” e não gostava de críticas a alguns comportamentos que tinha. Ela fazia acompanhamento e foi diagnosticada como Depressiva/Síndrome do Pânico e “medicada”.
Ela tentou se matar por duas vezes, cortando os pulsos. Na segunda vez que ela tentou (a única que soube), comecei a abordar a situação com ela e com muito tato e paciência conversávamos e alinhamos que não mais faria isso. Ela cresceu, entrou para uma Comunidade e tudo isso “passou”.  Alguma semelhança com o que falamos até agora? Entende porque a identificação e ação correta e em tempo hábil é fundamental? Talvez o caminho dela pudesse ter sido menos árduo!

 

Como o Systema pode ajudar uma pessoa acometida de Borderline?

Exercícios de respiração, conscientização, percepção interna visando ajudar a pessoa a perceber e controlar suas emoções, principalmente as negativas, tudo isso através de exercícios simples e práticos.
Outro fator importante é o ambiente que proporcionamos aqui no Espaço Funcional, sem críticas ou  julgamentos.
Muitos dos exercícios também tem a intenção de lapidar a parte emocional, propiciando calma e equilíbrio na avaliação de situações e no agir. É um processo e não ocorre do dia para a noite. 

 

Toda a Arte Marcial pode dar suporte à pessoa portadora de Borderline?
A priori sim, desde que o aluno esteja sob a tutela de um professor experiente, empático e disponível/acessível. Na nossa opinião é fundamental que o profissional seja de alto nível, experiente e saiba identificar os momentos de transição de humor antes que eles se intensifiquem e saiba atuar de forma pontual, sem expor o aluno.
Nossa experiência pessoal mostra que que a personalidade de uma pessoa é mutável, se a pessoa se permitir a mudança de sentimentos, pensamentos e ações. Novas habilidades podem ser construídas mas para uma maior eficácia o aluno precisa querer e persistir e o acompanhamento multidisciplinar deve ser permanente. 

Sob certos aspectos a Arte Marcial Russa propõe uma vida com maior qualidade, sem excessos e visando o equilíbrio, mas como tudo na vida cada pessoa é única e deve ser tratada como tal.

 

Existem alguma atividade que pode amenizar os sintomas de Borderline?
Sim, existem algumas atividades que podem ajudar o portador a se equilibrar. Mas como já mencionei a pessoa precisa se dar um crédito e se dispor.  Dentre diversas, podemos citar:
-- Atividades físicas: é mais do que sabido que atividades físicas ajudam as pessoas a se equilibrar, tanto física como emocionalmente. Aqui no Espaço Funcional com muito sucesso envolvemos a pessoa e incentivamos a pessoa à participar das atividades, sem pressão e respeitando os diversos momentos.
-- Atividades Relaxantes: por exemplo Yoga, que ajuda a pessoa a reduzir o quadro de tensão através de posturas e respiração.
-- Alimentação saudável: alimentação saudável e na medida certa evita que a pessoa engorde e entre em uma espiral de engorda física e emocional.
-- Hábitos Saudáveis: Um estilo de vida saudável é fundamental em contraponto para evitar que hábitos nocivos (fumar, beber, etc.) sejam usados como uma válvula de escape. 
-- Dormir bem – fundamental para o equilíbrio tanto do corpo quanto do humor.
-- Ter hobbies -  fazer uma coisa que agrada pode aliviar a tesão e o stress, além do que interagir com pessoas que tem o mesmo objetivo que você faz bem. Geralmente quem pratica um hobbie gosta do que faz e está feliz com um novo aprendizado e/ou seu progresso.
-- Praticar e ajudar em alguma atividade religiosa ou espiritual: buscar paz interior, autoconhecimento e ter os benefícios de ajudar os outros em você mesmo. A ideia é pensar e atuar em coisas positivas.
-- Estar em contato com a natureza e animais – passeios ao parque e interação com animais geralmente acalmam a pessoa.
-- Praticar Artes Marciais – busca do seu equilíbrio através de práticas marciais dirigidas.

 

Tenho um filho(a) com borderline, o que posso fazer para ajudar?
A primeira coisa é saber com o que, quem e como vai lidar com a situação:
1) Informe-se e aprenda a lidar com isso. Existe muito material na Internet que pode ser lido ou assistido. Tenha calma.
2) Se ainda assim precisar de mais informação ou ter mais foco procure também para você um profissional gabaritado e de confiança para sua orientação. Sim, as vezes um acompanhamento com os pais pode ser necessário.   

3) Convide a pessoa portadora a entender que precisa de ajuda profissional, sem críticas ou cobranças.
4) Em caso de surto acalme-se primeiro e busque orientação médica. Seja e aja de forma empática. “Respire”, tenha paciência e ame!

 

O que que mais posso fazer em mim (como pai/mãe, educador, profissional, amigo(a), parente) para ajudar uma pessoa com Borderline?
Acredito que agir de forma compassiva é um dos caminhos e pode ajudar a pessoa a sair do surto e a forma de comunicação para isso é fundamental. Indico a leitura de um livro, que na minha opinião, é fundamental: “Comunicação não Violenta”, de Marshall Rosenberg. Você vai se surpreender com a aplicação destas técnicas simples! Este é um livro que você pode comprar ou baixar em PDF na Internet. Caso tenha dificuldade nisso me escreva:  (carlos.espacofuncional@gmail.com) que ficarei feliz em compartilhar uma cópia em PDF com você.

 

O presente artigo não tem pretensão de fechar questão sobre o tema e visa somente repartir nossa experiência em lidar com pessoas que estão/passaram por algum tipo de dificuldade emocional e lançar um pouco de luz sobre como lidar com o tema de forma alternativa.
 

Sim, acreditamos é possível transformar a vida destas pessoas para melhor. Tudo é um processo: questão de crer que é possível, de tempo e perseverança.

 

“O Senhor o susterá em seu leito de enfermidade, e da doença o restaurará.”  (Salmos 41:3).

 

“O que não me destrói, me faz mais forte” (Nietzsche)