• Prof. Carlos Pimenta

O uso da Hipnose no Câncer – uma visão otimista

Atualizado: 22 de jul.



O Câncer (neoplasia maligna) é uma doença multifacetada que em sua pluralidade mais de 100 diferentes variações. De forma geral se caracteriza pela multiplicação anormal e desordenada de células em tecidos ou órgãos, com diferentes graus de progressão e velocidade. Como observação, não confundir com Tumor (crescimento anormal de um tecido) ou neoplasia benigna.




A palavra Câncer tem sua origem no idioma grego, karkínos, que significa caranguejo. Também do latim câncer:cancri, caranguejo. Foi utilizada associada a esta doença por Hipócrates (o pai da medicina ocidental), que de maneira figurada, fez a associação do desenvolvimento celular da doença com a imagem do caranguejo - um corpo central com ramificações.

O que causa o Câncer?

O Câncer pode não ter uma causa única ou pode ser causado por uma combinação de fatores, de certa forma e medida. De forma geral pode-se identificar como origem ou fator de risco, tais como : carga genética (mais raros) e causas internas (condições e capacidades imunológicas, hormonais ou mutação genética); maus hábitos e comportamentos (por exemplo: tabagismo, álcool), deficiência da qualidade nutricional, traumas emocionais relevantes e persistentes, exposição a produtos ou ambiente radioativos, se enquadrar em grupo de risco com maior vulnerabilidade (por ex.: obesidade, sedentarismo), vulnerabilidade devido ao processo natural de envelhecimento do corpo e seus sistemas, exposição excessiva ao sol, entre outros.


Porque o Câncer é tão assustador em relação a outros males?

Até bem pouco tempo atrás esta palavra estava carregada de um estigma pesado e que a maioria das pessoas só de pensar já associava a sentimentos fortes e sentença. Os tratamentos estavam sempre associados as dores e efeitos colaterais intensos devido a medicação forte e não havia garantia de nada.Atualmente, com o avanço da Ciência de forma geral e em seus diversos campos, campanhas de informação, conscientização, prevenção, exames clínicos modernos, já não é mais assim.

Fora o avanço no campo da pesquisa dos fármacos (criação de novas drogas com preocupação com maior controle dos efeitos colaterais e da dor) existe a melhora da tecnologia atual e pesquisa de novos equipamentos. Em adição, a abordagem multidisciplinar com a participação de outros profissionais da Saúde e Bem-estar tem proporcionado maior tranquilidade à Pessoa ao passar pelo processo e se recuperar com maior qualidade.


Ouvi dizer que a Hipnose... é isso mesmo? Existe uma grande diferença entre Hipnose de Palco (e de Rua) que é uma experiência de entretenimento para a Hipnose Clínica, estudada, testada e comprovada de forma científica e aplicada através de protocolos e métodos diversos, visando sempre o bem-estar e qualidade de vida de uma Pessoa. A maioria do que é mostrado sobre hipnose, por exemplo em filmes e séries, enfatiza a prática com aspectos negativos e reforça mitos e crendices falsas, que pela falta da informação correta se incorpora para a maioria das Pessoas como uma verdade quase que “incontestável”. São absurdos forçados em nome do entretenimento e que não se sustentam tanto na prática Clínica quanto diária. De certa forma são um desserviço a esta poderosa técnica. Hipnose não controla ou domina mentes, não muda sua essência, não faz você fazer coisas que normalmente não faria, não tem fundo místico ou religioso (embora alguns princípios gerais também possam estar contidos em certas práticas ou serviços religiosos), não se fica “preso” na Hipnose, a hipnose não faz da pessoa um Zumbi, etc.


A Hipnose cura o Câncer? Não. A Hipnose é uma técnica mental e não tem a pretensão ou prerrogativa de ser um tratamento corporal ou medicamentoso contra o Câncer.


Qualquer pessoa pode se utilizar desta técnica?

Basicamente todos que tem um processo de comunicação e compreensão em perfeitas condições, de crianças a idosos. Não é possível fazer Hipnose com Pessoas com comprometimento cognitivo ou demência avançados, pessoas em coma ou em bebês. Também não é recomendado fazer em pessoas com estados mentais alterados (p. ex.: esquizofrenia). A Hipnose pode ser aplicada em Surdos, com o mesmo benefício das pessoas “ouvintes”, desde que a técnica seja adaptada e o Hipnoterapeuta domine a LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais). Cada vez que você está focado e concentrado em uma coisa ou atividade (seja ela qual for) por um determinado tempo (e até mesmo projetar sua imaginação neste assunto), de certa forma, já está em estado hipnótico. Resumidamente: se você quer você pode!


Qual o papel do Hipnoterapeuta na Hipnose? O Hipnoterapeuta é um facilitador, dando a direção e guiando o processo em prol de um objetivo definido previamente.


De forma geral como a Hipnose Clínica pode ajudar casos Oncológicos? A Hipnose, desde que usada da forma correta, pode ser uma poderosa ferramenta complementar no auxílio a Pessoas conforme a fase em que a pessoa se encontra, podendo ajudar tanto na parte emocional como nos sintomas. Ela é segura e não tem efeitos colaterais, dependendo exclusivamente do Consulente aceitar passar pelo processo e não da vontade do Hipnoterapeuta. Ela proporciona, entre outras coisas, equilíbrio e mais qualidade de vida.


Em quais casos ou como a Hipnose Clínica pode atuar? Ela pode atuar em várias frentes e neste caso sempre em prol das necessidades individuais da Pessoa. Dependendo de qual for a abordagem alinhada entre Terapeuta e a Pessoa (foco de todo o trabalho) podemos destacar os alguns aspectos, linhas de trabalho e benefícios:

  • Corporais: consequências ou manifestações corporais da doença, principalmente no caso de efeitos colaterais do próprio tratamento, tais como: diminuição e controle de dores diversas (localizadas ou inespecíficas), analgesia pontual, náuseas, vômitos, mal-estar, melhorar o apetite e resgatar o prazer em se alimentar, melhora da qualidade do descanso e do sono e etc.

  • Emocionais: em todas as fase do processo, principalmente:

  • Trabalhando a Ansiedade (Depressão, etc.) e outras emoções (mágoa, raiva, desânimo, etc.) nas diferentes partes do percurso.

  • Trabalhando medos e fobias: de consultas médicas e leitura de exames, procedimentos em equipamentos ou não (tomografia, radioterapia, quimioterapia, etc.), fobia de agulhas e resistência em tomar remédios e seguir procedimentos.

  • Ressignificando traumas e problemas do Passado.

  • Comportamentais: reverter alguns comportamentos, vícios e hábitos ruins, tais como “desleixo” com os cuidados pessoais ou de subsistência, birras e teimosias; persistência com fumo, álcool e uma vida desregrada, etc.

  • Pode ser usada para desviar o foco da doença e focar a atenção e energia de forma positiva.

  • Trabalhar sentimentos e impacto do diagnóstico, mudança de paradigmas, autoimagem e auto percepção, fortalecer a capacidade de prospecção e visualização do futuro, etc.

  • Melhora no humor, dar tranquilidade e incentivar a sociabilização.

  • Melhor qualidade da resposta em situações estressantes.

  • Cuidados paliativos

  • Desvinculando aspectos Psicossomáticos, etc.

Porque uma mudança de Modelo Mental é importante?

Na minha opinião é fundamental para a total da remissão do Câncer uma mudança de Modelo Mental. Pessoas que se mantém proativas e positivas durante todo o processo se fortalecem mais rápido e tem suas funções internas melhoradas, ou seja, pela mudança dos padrões de pensamento, sentimentos e comportamentos; respondendo melhor ao tratamento médico e potencializando reflexos benéficos no corpo. Trata-se não só de uma mudança de paradigmas e mentalidade, mas também adicionando-se dentro do contexto terapêutico mais conhecimento, entendimento, intenção e atitude focada e não simplesmente um positivismo vazio. Em resumo: a atitude da Pessoa nesta hora pode fazer toda a diferença! A própria Pessoa é a maior protagonista durante todo o tempo e é a parte mais importante de todo o processo. A mudança produz novas possibilidades.


Quando a Hipnose Clinica deve ser iniciada? Se possível antes (na suspeita, preventivo) ou imediatamente após o diagnóstico. Quanto mais cedo a Pessoa estiver participando do processo maior será a quantidade de sessões (exposição ao processo terapêutico-hipnótico) e maior o benefício.


Existe uma técnica específica de Hipnose para casos Oncológicos? Via de regra você pode achar, principalmente hoje na Internet, diferentes tipos de Terapeutas com abordagens ou nomes diferentes para a mesma prática da Hipnose (ou com pequenas variações). Não vou entrar neste mérito. O que importa, na minha opinião, não é tanto qual será a abordagem, técnica ou protocolo e sim o resultado efetivo e mensurável para o Consulente. Se a Hipnose for aplicada de maneira ética, empática e respeitosa e está sendo eficaz para o Consulente, ajudando-o durante todo o processo, então o objetivo final está sendo alcançado.


Será que a auto hipnose pode ajudar? Sim e muito, não só ela, mas outras técnicas que estão fora do escopo deste texto. Embora possa ser objeto de discussão a amplitude e eficácia individual da auto hipnose, o Hipnoterapeuta pode ensinar técnicas de respiração, indicar ou gravar áudios personalizados que no mínimo, proporcionam um estado de relaxamento. A eficácia da auto hipnose está no querer e fazer, isto é, se concentrar, focar e imaginar, e na repetição constante (no mínimo diário) do processo. Quanto mais fizer mais fácil fica!


De forma prática como as sessões de Hipnose Clínica podem me ajudar? Dentre as Pessoas que já atendi gosto de primeiramente entender o contexto em que a pessoa está e fazer uma avaliação completa, verificar onde está e os próximos passos do tratamento médico e como está emocionalmente. Entendendo a necessidade da Pessoa e com foco nela, procuro entre outras coisas: estabilizar o emocional e o humor, dar tratativa a problemas emocionais do passado, medos e traumas; preparação emocional e tranquilidade para cirurgias, modulação de dores (a avaliação e modulação de dores é um assunto complexo que foge ao escopo deste texto), mudança de perspectiva e previsões quanto ao futuro, autoconhecimento e entendimento, educação emocional (Psicoeducação), etc.


A Hipnose Clínica pode ajudar aos familiares? Sim. Em muitos casos a notícia do diagnóstico é tão forte e profunda emocionalmente para elas quanto para a própria pessoa. Os acompanhantes (geralmente parentes) desta pessoa é parte integrante e positiva do processo de restabelecimento. Precisam estar equilibrados, preparados para toda a rotina que virá pela frente. Desta forma a Hipnose Clínica é uma ferramenta rápida e assertiva para mitigar eventuais problemas que possam se manifestar e eventualmente comprometer o melhor estado dos acompanhantes. Também é essencial para preparar, fortalecer, dar bom ânimo e clareza de visão durante todo o processo.


Podemos chegar a alguma conclusão sobre a aplicação da Hipnose Clínica em Oncologia?

De forma geral, na opinião e experiência do autor, a comprovação da eficácia da Hipnose Clínica é validada tanto pela pratica Clínica diária quanto por artigos científicos (SciELO, Capes, BDTD, Google Acadêmico, PubMed, entre outros), livros e publicações sérias que corroboram a influência positiva e efetiva dela como um poderoso coadjuvante no tratamento de doenças crônicas e autoimunes, tendo papel importante durante todo o percurso, tanto na regulação de sintomas (principalmente colaterais) e controle de dores, quanto proporcionando o equilíbrio emocional e. por consequência, nas relações psicossomáticas envolvidas. Quanto a mudança mental, podemos destacar as alterações de crenças e paradigmas, com modificação e ressignificação de pensamentos em relação a própria comorbidade, incentivando e potencializando a “volta por cima” em todas as etapas, com benefícios duradouros, mesmo após o término deste processo e remissão final do mal.


Minha mensagem para você...

Gostaria de deixar com você, portador de Câncer e Doenças Crônicas, uma mensagem de otimismo, pois com uma visão otimista que escrevi este texto para você. Otimismo no avanço da Ciência e otimismo nos inúmeros profissionais que estão prontos para te ajudar, otimismo na continuidade e na vida. Você não está sozinho(a)!

Conheço bem o que está passando porque já passei por isso, e posso comprovar o poder da Hipnose Clínica e da auto hipnose aplicada em mim mesmo e em meus Clientes.


Desejo saúde e boa ventura nessa sua e nossa jornada e me ponho a disposição em caso de dúvidas!


Prof. Carlos Pimenta (Empresário, Hipnólogo Clinico especializado em Doenças e Dores Crônicas Emocionais, Acupunturista e Massoterapeuta, Terapeuta Integrativo entre outros, Instrutor Pleno de Systema - Arte Marcial Russa, Psicanalista) www.espacofuncional.com.br/terapias Instagram: @espacoterapiasassociadas e @prof.carlos.hipnoterapia WhatsApp: (11) 9.4241-6823 (msg) Fone: (11) 3021-6769


27 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo